Um comentário

Saber escrever é uma dádiva de poucos, isso é fato. É bastante complicado conseguir transcrever seus pensamentos e idéias de forma e exata e fiel é uma arte que poucos conseguem administrar tão bem, e isso me facina de forma que vocês podem ou não vir à compreender com o tempo.

Mas eu não estou falando de simplesmente escrever tópicos em blogs, escrever matérias para jornais ou até mesmo criar textos mirabolantes e diretos para um anúncio de trinta segundos na tv. O que eu acho que se torna mais complicado na arte de escrever, é conseguir criar uma história como algumas pessoas conseguem.

Seria muito fácil porém, eu chegar aqui e dizer sobre JRR Tolkien, JK Rowling, Steven King, ou algum outro bonachão da literatura internacional que existe por ai. Todo mundo já ouviu pelo menos uma vez (alguns desses nomes, uma vez é bem pouco) alguma referência ao trabalho feitos por esses “cabeçudos” que falam outra língua. Não vou enganar vocês: como um amante de histórias fantásticas e literatura de aventura (é assim que eu costumo classificar os livros que gosto de ler, pelo fato deles apresentarem bastante… aventura!) eu gosto muito desses autores internacionais, e aprovo a grande maioria dos livros que eles escrevem. Mas é muito fácil chegar em qualquer livraria de porte médio/grande e encontrar o mais novo lançamento desses caras. Diabos, se bobear, você acha até na internet esses livros em formato de PDF. Sem graça: você acaba não podendo carregar o livro debaixo do braço, e não tem um contato físico com a obra, o que faz perder grande parte da graça de ler histórias de aventura.

O que eu gostaria de apontar hoje, são alguns autores NACIONAIS, que vêm escrevendo de forma fantásticas, as melhores histórias de aventura que eu tenho lido ultimamente. Talvez você não conheça nenhum deles, mas se interesse pelo tema. Talvez já tenha ouvido falar de algum, e quem sabe até mesmo já pensou em comprar o livro, mas não botou fé porque não tinha lido nenhuma indicação ainda…

Então se você é fã de literatura de aventura, cola o bumbum na cadeira ai e só usa o mouse pra rolar a tela pra baixo. Vamos la!

-> FANTASIA MEDIEVAL – Se pra você, uma boa aventura tem que ter capa, espada, escudo e dragões, tenho algumas boas dicas pra te dar, pois este também é meu gênero favorito.

A TRILOGIA TORMENTA, como vem sendo conhecida os lançamentos da Editora Jambô, escritas pelo maestro Leonel Caldela conta a história de um mundo medieval que vem a conhecer uma tempestade de outro mundo. Essa tempestade, a Tormenta, é na verdade um portal prum outro mundo, que trás consigo monstros inimagináveis. O primeiro romance, na melhor linha mesa de RPG, conta a história de um grupo de aventureiros que ve seu caminho sendo cruzado por um emissário desse novo mundo. Cabe a eles descobrirem quem é essa homem estranho, além de enfrentarem diversos desafios enquanto percorrem diversos reinos do mundo de Arton.

Gosto desses livros particularmente, pois eles transformam um hobbie que eu tinha em uma história fantástica, sem prescendentes. Quem joga, ou já jogou RPG algum dia na vida, vai se identificar com as situações que os personagens passam. Além disso, o mundo de Arton é também o maior cenário nacional de RPG atualmente. Escrito pelo trio Tormenta (JM Trevisan, Marcelo Cassaro e Rogério Saladino), o autor Leonel Caldela consgue adicionar um toque quase sombrio aos acontecimentos que ocorrem em O Inimigo do Mundo. Já em O Crânio e o Corvo, a história toma um rumo um pouco diferente, e você segue os passos de um general, enquanto o mesmo segue em busca de um assassino em massa. Como tudo em Arton acaba estando interligado, você acaba o livro revendo personagem do primeiro romance, e descobrindo segredos que poucos imaginariam.

O terceiro e conclusivo livro da trilogia ainda está em fase de produção, e deve sair até o ano de 2010.

Ainda no gênero fantasia medieval, o livro DRAGÕES DE ÉTER, do escritor Raphael Draccon (ainda quero descobrir se esse sobrenome é real ou não) me chamou a atenção por vários fatores. Confesso que comprei o livro na livraria sem nunca ter ouvido ou lido nada à respeito. Dei uma olhada na contra-capa, li o prefácio, gostei tanto que comprei, achando que ia encontrar uma história completamente diferente da que o livro me mostrou. E nem por isso eu me arrependi. Muito pelo contrário, o livro é fantástico.

A história de se desdobra no mundo fantástico de Nova Éther, onde histórias antigas como Chapeuzinho Vermelho, João e Maria, Branca de Neve e os Sete anões, entre outros, são pano de fundo e, ao mesmo tempo, personagens principais. O autor realizou um excelente trabalho em reformatar esses contos antigos, sem precisar modificar uma vírgula em suas histórias originais, mas mesmo assim, nos apresentando os personagens de forma totalmente nova.

Mas o que mais me chamou a atenção no livro, foi o narrador. Raphael consegue criar um clima que nos faz imaginármos que a história está sendo contada ao redor de uma fogueira por um parente mais velho, ou até mesmo por um bardo, em uma taverna movimentada… mas que fica em silêncio absoluto para se concentrar na fala desse narrador. Não é muito comum encontrar narradores que se jogam dentro da história, e que por fim, acabam sendo por sí só, mais um personagem nessa história tão rica e interessante.

Vale a pena uma lida não só pelo narrador excêntrico e divertido, mas também para você rever personagens de contos infantis em uma temática um pouco mais madura, e ter a certeza que até crianças de contos de fadas crescem um dia, seja por força do tempo, ou por algum trauma externo.

.

-> HORROR GÓTICO – Uma boa história não está completa sem noites escuras, muita fumaça e uma chuva torrencil caindo sobre os personagens principais? Então vamos às dicas…

Desnecessário apresentar a obra de André Vianco. Se você ainda não conhece o famoso “Stephen King” de Osasco, está perdendo tempo! Vou falar sobre alguns livros dele que li e que posso indicar pra vocês.

Em OS SETE e SÉTIMO, André conta a história de sete vampiros que foram adormecidos numa Portugal colonialista, onde o Brasil ainda era pouco conhecido. Você acompanha as descobertas dos vampiros ao acordarem num Brasil moderno, ao mesmo tempo em que eles tentam se alimentar sem levantar suspeitas (mesmo que muitas vezes, eles não liguem para isso).

É interessante porque, além de apresentar algumas cidades do Sudeste e do Sul brasileiro sobre um aspecto pouco explorado, os personagens são aristocratas portugueses que eram donos do tempo e do mundo.

Entrando numa temática um pouco mais “religiosa”, por assim dizer, O SENHOR DA CHUVA trata da eterna luta entre anjos e demônios pelo controle das almas mortais. Também escrito pelo André Vianco, este foi o primeiro livro que li dele, e apesar de não concordar com alguns aspectos apresentados, é um excelente livro.

O romance conta a história de um anjo que, para se livrar da morte, encarna em um humano que também estava para morrer. Conectados agora pelo mesmo corpo, o anjo deve lutar ao lado das forças celestiais, ao mesmo tempo em que ajuda o humano à se livrar de traficantes que estavam em sua procura. O melhor do livro pra mim foi a conexão que o André fez entre os anjos e a água da chuva, pois esta atribui uma força extra aos celestiais, como se fosse uma água sagrada, lançada pelos céus para a recuperação de seus guerreiros.

Sem dúvida nenhuma, o MELHOR LIVRO sobre anjos que eu já li! E o de maior título também: A BATALHA DO APOCALIPSE – DA QUEDA DOS ANJOS AO CREPÚSCULO DO MUNDO. Escrito por Eduardo Spohr, você acompanha a vida na terra de um general celestial que foi renegado aos céus. Passando por diversas cidades históricas do mundo antigo e moderno (e até uma cena fantástica junto ao Cristo Redentor, no Rio de Janeiro), você vai conhecendo os motivos que levaram Ablon, o Primeiro General à desenvolver uma rebelião nos céus, e como ele foi traído por aquele que era a Estrela da Manhã, e viria a cair e se transformar no maior opositor ao reino dos céus, em toda a história da humanidade.

O livro é bom pelo simples fato de apresentar fatores emocionais e psicológicos que são sempre deixado de lado em quase toda obra sobre anjos e demônios. O que levou Lúcifer à se rebelar? Por que existem tantos relatos de anjos na antiguidade, e hoje em dia eles se tornam cada vez mais raros? Que papel tiveram os anjos no desenvolver da humanidade?

Essas e outras tantas perguntas são respondidas enquanto se caminha para a batalha final do Apocalipse. Sem entrar em detalhes, o autor coloca uma guerra nuclear entre diversas nacionalidades, fazendo com que as mortes das milhões de pessoas sejam o pano de fundo para que o mundo venha à um fim. Conseguiria Ablon, o general que foi expulso do céu e condenado à viver na Terra até o fim dos tempos, descobrir porque Deus não interfere, e ao mesmo tempo conseguir conter o exército sempre crescende das hordas infernais? Vale a pena uma lida. Mas corra, pois o livro foi feito de forma independente e ainda está à espera da proposta de uma grande editora para a impressão em larga escala.

.

-> Claro, ainda existem no mínimo uns cinco ou seis livros que eu gostaria de indicar aqui para vocês, mas o texto já está enorme. Além do mais, já está ai uma boa biblioteca inicial de bons livros. Quando acabarem de ler todos eles, podem me procurar que eu indico alguns mais.

Namastê.

Um comentário sobre “Um comentário

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s