Quando as Marcas Apostarem no #3words

3words1

No último mês, o hype de uma semana que tomou conta do twitter foi um site em que você descreve uma pessoa usando somente três palavras: o ThreeWords.me. Como tudo nessa internet pós-moderna, vale ofender e vale elogiar, contanto que você me descreva em três palavras-oh-meu-deus-eu-vou-morrer-se-você-não-fizer-isso. Através de um login que integra o bola da vez Facebook, em poucos segundos você já tem sua página operacional e pronta para receber palavras de seus amigos e desconhecidos-conhecidos.

O que me chamou a atenção foi que, assim como o Formspring foi utilizado por algumas empresas como forma de SAC Online, o Three Words tem também um belo potencial de utilização de branding. Uma das coisas que cansamos de debater no curso de #gmic4, foi a importância de monitorar a temperatura de sua marca, e perceber quais associações seus stakeholders fazem dela. Se você já possui uma marca engajada nas redes sociais, buscar esse feedback em três palavras é maria-moleza! Se a sua marca ainda engatinha na web 2.0, talvez seja interessante desenvolver uma ação que promova essa interação.

3words2

Agora, eu não estou dizendo que está é a solução pra todos os seus problemas de descobrir como sua marca é vista na web. Assim como muitas coisas vistas por ai, o Three Words não passa de uma ferramenta, que pode ser utilizada para complementar informações. Há sempre a possibilidade de sabotagem via concorrente, ou a indubitável presença de haters gonna to hate… Porém, se a sua intenção é trabalhar a interação da marca nas redes sociais, já passou da hora de saber que em um diálogo, vocês está exposto tanto ao elogio quanto à crítica. Se veio pra chuva, é muito provável que você vá se molhar.

Você consegue detectar mais algumas vantagens ou desvantagens de utilizar essa ferramenta na monitoração de sua marca?